Grupos de Pesquisa

Há grupos de pesquisa atuantes nas cinco linhas de Pesquisa do Programa que podem ser acessados no menu abaixo. Além desses, vários professores atuam em grupos de pesquisa nacionais ou internacionais que podem ser consultados pelo nome do docente na página Docentes.

  • Definição e objetivos:

O Núcleo de Estudos em Música Brasileira (NeMuB) é um grupo de pesquisa certificado pela UFMG e cadastrado no CNPq. Sua perspectiva é abrangente e interdisciplinar, visando compreender a produção musical brasileira pela conjugação analítica de fatores intrínsecos e extrínsecos, “musicais” e “extra-musicais”, que sempre a acompanharam e condicionaram. A linha de trabalho do grupo pode ser definida pelo trinômio Musicologia, Análise e Performance, desde que se compreendam bem os significados de cada um desses termos e, principalmente, sua interdependência no âmbito do trabalho do Núcleo.

Da Musicologia, ciência de domínios muito vastos, o NeMuB pretende utilizar conceitos, metodologias e ferramentas teóricas interdisciplinares que permitam investigar o diálogo entre a música e a cultura brasileira de modo geral e os modos de inserção de determinadas obras e compositores na tradição, no cânone musical, nos movimentos artísticos e/ou no mercado cultural do país. O debate musicológico contemporâneo irá também fornecer subsídios para a discussão de temas fundamentais, tais como: “música brasileira e identidade nacional”, “música brasileira e pós-modernidade”, entre outros.

Com os instrumentos da Análise Musical, os trabalhos desenvolvidos no NeMuB esperam objetivar dados imanentes às obras musicais que possam servir para confirmar, contrastar ou ampliar hipóteses advindas da visão mais geral fornecida pela Musicologia.

Por fim, a Performance, a ser proposta em eventos promovidos pelo Núcleo como um instrumento eficaz de difusão de um repertório brasileiro, contemporâneo ou não, menos conhecido, será sempre entendida não como demonstração de meras habilidades técnico-instrumentais, mas como momento de consolidação de um entendimento musical em que estarão presentes tanto os resultados musicológicos quanto os analíticos.

  • Pesquisadores:

Flavio Barbeitas (UFMG) – Currículo Lattes

Ana Cláudia de Assis (UFMG) – Currículo Lattes

Marcos Edson Cardoso Filho (UFSJ) – Currículo Lattes

Jonas Lanna (UFRJ) – Currículo Lattes

Edite Rocha (INET/UFMG) – Currículo Lattes

  •  Principais Linhas de Pesquisa de atuação do NeMuB no Programa de Pós-Graduação em Música da UFMG:

– Música e Cultura

– Performance Musical

  •  Dissertações e teses concluídas ou em andamento:

1. Celso Faria. A “Collection Turibio Santos”: o intérprete-editor e o desafio na construção de novo repertório brasileiro para violão. 2012. Dissertação (Mestrado em Música) – Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Flavio Terrigno Barbeitas.

2.      Kênia Simone Werner. Entre cabarés, noites líricas e rádios portoalegrenses – a trajetória do músico Roberto Eggers (1889-1984). 2010. Dissertação (Mestrado em Música) – Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Flavio Terrigno Barbeitas.

3.      Humberto Junqueira. A obra de Garoto para violão: o resultado de um processo de mediação cultural. 2010. Dissertação (Mestrado em Música) – Universidade Federal de Minas Gerais, . Orientador: Flavio Terrigno Barbeitas.

4.      Michel Barboza Maciel. Ritmata, de Edino Krieger: uma reflexão sobre processos vanguardistas na literatura do violão brasileiro. 2010. Dissertação (Mestrado em Música) – Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Flavio Terrigno Barbeitas.

5.      Diogo Artur Bianco Navia. As Melopéias 1, 2 e 3 de César Guerra-Peixe. 2012. Dissertação (Mestrado em Música – Performance) – Universidade Federal de Minas Gerais. Orientadora: Ana Cláudia de Assis.

6.      Gabriel Casara. As Obras para piano solo de Arthur Bosmans: uma bordagem da Estética da Sonoridade. 2011. Dissertação (Mestrado em Música – Performance) – Universidade Federal de Minas Gerais. Orientadora: Ana Cláudia de Assis.

7.      Cláudia Araújo Garcia. O violão na canção de câmara brasileira: um estudo de seus aspectos musicais e simbólicos. 2011. Dissertação (Mestrado em Música) – Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Flavio Terrigno Barbeitas.

8.      Renato Teixeira Almeida. Viola de dez cordas: entre a tradição e a contemporaneidade. 2011. Dissertação (Mestrado em Música) – Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Flavio Terrigno Barbeitas.

9.      Reginaldo Martins. Muito além de “Gotas de Lágrimas”: o violão seresteiro de Mozart Bicalho em transcrições e arranjos dos álbuns “Sonhando ao Luar” e “Um Senhor Violão”. 2011. Dissertação (Mestrado em Música) – Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Flavio Terrigno Barbeitas.

10.  Hellem Pimentel Santos Figueiredo. La Traviata à brasileira: diálogos culturais na sambópera de Augusto Boal. 2011. Dissertação (Mestrado em Música – Música e Cultura) – Universidade Federal de Minas Gerais. Orientadora: Ana Cláudia de Assis.

11.  Clarita Ribeiro Gonzaga. Por Deus, pela Pátria e pelo côco da Bahia! Recortes e colagens na construção estética tropicalista. 2013. Dissertação (Mestrado em Música – Música e Cultura) – Universidade Federal de Minas Gerais. Orientadora: Ana Cláudia de Assis.

12.  Joana Monteiro Radicchi. A relação entre composição e performance no processo de criação: um estudo sobre a colaboração entre compositores e intérpretes. 2011. Dissertação (Mestrado em Música – Performance) – Universidade Federal de Minas Gerais. Orientadora: Ana Cláudia de Assis.

13.  Pedro Henrique Dutra Martins Rocha Elias. A canção tropicalista e seu percurso crítico: das vanguardas à indústria cultural. Início: 2013. Dissertação (Mestrado em Música) – Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Flavio Terrigno Barbeitas

14.  Carlos Ernest Dias. Villa-Lobos, Antônio Carlos Jobim e Edu Lobo: trilhas de uma brasilidade musical. Início: 2013. Tese (Doutorado em Música) – Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Flavio Terrigno Barbeitas.

15.  Daniel Menezes Lovisi. A singularidade do violão mineiro: um estudo sobre a produção de violonistas compositores do estado e a relação de suas obras com a identidade mineira. Início: 2013. Tese (Doutorado em Música) – Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Flavio Terrigno Barbeitas.

16.  Marcos Sarieddine. A estética tropicalista de Caetano Veloso analisada a partir de Terra em Transe, Paisagem Útil e Tropicália. Dissertação (Mestrado em Música – Música e Cultura) – Universidade Federal de Minas Gerais. Orientadora: Ana Cláudia de Assis.

17.  Arnon Sávio Reis de Oliveira. A tradição coral em Minas Gerais e sua transformação a partir de 1950. 2011. Tese (Programa de Pós-Graduaçao em Historia) –. Universidade Federal de Minas Gerais. Co-orientadora: Ana Cláudia de Assis.

18.  Lucila Pereira da Silva Basile. O piano na sala: um estudo da produção musical na cultura urbana de Fortaleza de 1900 a 1930. 2011. Tese (Programa de Pós-Graduaçao em Historia) – Universidade Federal de Minas Gerais. Co-orientadora: Ana Cláudia de Assis.

  •  Eventos organizados:
  1. 1º Colóquio da Pós-Graduação: Música Brasileira em Perspectiva (2013)              Local: Escola de Música da UFMG
  2. 2º Colóquio da Pós-graduação: Música Brasileira em Contexto (2014)                       Local: Escola de Música da UFMG
  3. Seminário Guerra-Peixe: 100 anos (2014)                                                                       Local: Escola de Música da UFMG
  4. Seminário Curt Lange e o Grupo Música Viva (promoção NeMuB E Acervo Curt Lange – 2014)
  • Disciplinas oferecidas com a participação do NeMuB:

Pós-Graduação:

História do Pensamento Musical no Brasil

Seminários em Música e Cultura

Graduação:

– História da Música através da Performance

– História da Música Brasileira

Coordenador: Fausto Borém

Definição/ objetivos: Estudos sobre aspectos técnicos-musicais no repertório erudito (especialmente música brasileira) e popular (especialmente ritmos brasileiros e jazz); Processos composicionais e escrita idiomática; práticas de performance históricas (barroco e música colonial brasileira). Repercussões incluem publicação de artigos completos nos mais importantes periódicos e anais (Opus, Em Pauta, Per Musi, Revista da ABC, Polifonia, Anais da ANPPOM, Anais do I SNPPM, ISB Journal, Bass World, Double Bassist, Music Review, Latin America Music Review); Apresentação de concertos (com estréias de obras) nos mais importantes congressos de contrabaixo no Brasil (II, III, IV, V e VI EINCOs, 1992, 1994, 1996, 2000, 2002) e no exterior (ISB em 1993,1995,1997,1999, 2001, 2005, 2007; Festival International de Contrebasse-França, 1994; Scotish Bass Trust International Festival-Escócia, 1988, Bass Fest, Sherborne College, Inglaterra, 2004); I e II Seminários de Pesquisa em Performance Musical (Belo Horizonte, 2000; Goiânia, 2002); Realização do I e IV CNCCs (Concurso Internacionais de Composição para Contrabaixo, 1996; 2004); Realização do I Seminário nacional de Pesquisa em Performance; desenvolvimento do repertório brasileiro e internacional do contrabaixo através da colaboração compositor-instrumentista em diversas obras (www.musica.ufmg.br/fausto.html); III Lugar no III Concurso Nacional de Composição paar Contrabaixo com a obra “Uma Didática da Invenção” de Fausto Borém/Manoel de Barros; Catalogação das principais sonatas brasileiras para violino e piano; Análise de de procedimentos composicionais e de performance emobra de Henrique Oswald, Camargo Guarnieri, Andersen Viana, Stravinsky, Berlioz, Beethoven, Debussy, A. Webern, Penderecki, Tom Jobim, Pixinguinha, Arrigo Barnabé, Thelonius Monk, John Green, Lewis Nielson, André Dolabella; catalogação da bibliografia utilizada no projeto; criação e manutenção da home page www.musica.ufmg.br/fausto.html.

Pesquisadores:

Endereço CNPqhttp://http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/618661

Coordenador: Fausto Borém

Definição/ objetivos:

Estudos interdisciplinares entre as áreas de Música (Performance e Educação Musical), Educação Física (Controle Motor e Aprendizagem Motora) e Física (Acústica). Busca a compreensão do controle motor e dos processos da aprendizagem motora envolvidos no ensino da música, especialmente das cordas orquestrais, como a afinação não-temperada (pesquisa em andamento), vibrato, timbre etc. Eventualmente, buscará o desenvolvimento de um sistema sensório-motor no ensino da afinação não-temperada e sua generalização, a partir do contrabaixo acústico, para as demais cordas orquestrais (violino, viola, violoncelo) e o contrabaixo elétrico fretless. Os resultados incluem apresentações de trabalhos em congressos nacionais e internacionais e a publicação de artigos.

Pesquisadores:

Endereço no CNPq: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/2004601541355200 

O Grupo de Pesquisa Performance e Pedagogia do violão: histórias, repertórios, técnicas, (PPViolão) constituído por professores de ambos os departamentos da Escola de Música da UFMG e com possibilidades de desdobramentos interdisciplinares e interinstitucionais, surge como resposta às demandas crescentes de organização da produção teórico-crítica, científica e artística, bem como das atividades de ensino e extensão que se apresentam para a área de instrumentos musicais, especialmente a de violão.

As mudanças pelas quais vêm passando o ensino da música na universidade brasileira são gigantescas e o cenário atual é muito diferente, em suas configurações institucionais, exigências e desafios, do que se via há pouco mais de uma década. De uma realidade quase exclusivamente radicada na relação mestre-aprendiz, espelhando uma situação que, em outras áreas do saber, já se encontrava largamente superada, o ensino de música, de um lado, vem se defrontando com a avalanche tecnológica que modificou inteiramente as práticas culturais, as expectativas e a própria formação do corpo discente; de outro, começa a responder à necessidade de finalmente acertar o passo com a dinâmica universitária, pautada pela lógica da produção científica interdisciplinar e comprometida com a indissociabilidade de ensino, pesquisa e extensão.

Some-se a isso, a premência, na Escola de Música da UFMG, em que o Programa de Pós-graduação vem tendo sua qualidade reconhecida em escala crescente, de se conceber o conhecimento de forma colaborativa e integrada, unindo tanto os esforços de professores que trabalham em áreas temáticas afins quanto as necessidades dos alunos de graduação e pós-graduação.

Buscando responder a esses desafios, o PPViolão se apresenta como espaço de concepção, discussão e desenvolvimento de atividades relacionadas ao violão de um modo geral, visando congregar temas de pesquisa individuais ou coletivos que possam reverter em novas abordagens para a pedagogia do instrumento e para reflexões em torno de seu repertório e das práticas musicais em que está inserido.

No contexto brasileiro, como se sabe, o violão é um dos instrumentos mais difundidos, seja pelas suas características físicas (portabilidade), seja, principalmente, pela sua profunda inserção na cultura musical do país. Não obstante isso, o ensino formal do instrumento, espelhando o que se afirmou antes sobre a música na universidade, manteve, em linhas gerais, sua perspectiva demasiadamente centrada na figura do professor e em aulas individuais. Pode-se dizer, sem medo de exageros, que muito pouco se aproveitou, entre nós, dos imensos recursos que o desenvolvimento tecnológico oferece também para o ensino musical instrumental. Nesse sentido, uma das principais linhas de atuação do PPViolão será converter em um material disponível não apenas a estudantes de algum modo ligados à universidade, mas também e sobretudo a um público interessado mais amplo, o conhecimento produzido na e através da Escola de Música da UFMG.

Assim, no âmbito da pós-graduação, serão bem-vindos projetos que contemplem, entre os seus objetivos, a contribuição ao acervo de educação a distância (web-aulas) que paulatinamente irá se constituir através do trabalho deste Grupo de Pesquisa, seja como introdução geral ao universo do violão, seja através da produção de cursos temáticos e mais focados que eventualmente ilustrem a pesquisa desenvolvida no Programa.

1.    Objetivos:

→   Articular a integração dos níveis de Graduação e Pós-graduação em disciplinas que tenham o violão como foco principal (ex.: Seminários de Literatura e Didática do Violão, Oficina de Performance, Violão Complementar etc.), por intermédio de organização de estágios de docência, intercâmbios etc.;

→   Proporcionar um espaço de discussão permanente em que estejam presentes e articulados a reflexão, a produção teórica e a prática musical;

→   Fomentar a elaboração de Projetos de Iniciação Científica para o envolvimento de alunos da Graduação;

→   Supervisionar a atividade de bolsistas nos cursos de extensão da Escola de Música da UFMG relacionados ao violão.

2.    Linha de Pesquisa:

Tendo como base as linhas de pesquisa oferecidas no Programa de Pós-Graduação da Escola de Música da UFMG, a atuação do Grupo se dará primordialmente na Linha de Performance Musical, mas possivelmente em diálogo com outras, a saber: Educação Musical, Processos Analíticos e Criativos, Música e Cultura.

3.    Equipe de Professores:

→   Prof. Dr. Flavio Barbeitas (líder)

→   Prof. Dr. Eduardo Campolina Viana Loureiro

→   Prof. Dr. Fernando Araújo de Paula

→   Prof. Me. Michel Barboza Maciel

4.    Projetos

→  O violão “em trânsito”: entre símbolo de brasilidade e veículo da globalização musical

Resumo: o projeto visa interpretar a evolução no repertório e na técnica de execução do violão no Brasil nas últimas décadas. Para tanto, propõe uma análise do repertório brasileiro para o instrumento em diálogo com as tradições populares e eruditas, com os movimentos artísticos gerais que nortearam a produção musical do país e com as linhas estéticas de composição e pensamento musical identificáveis no cenário atual. O objetivo da pesquisa não é produzir descrições formalistas, mas gerar uma visão crítica que integre a realidade autônoma das obras e o contexto em que foram criadas, superando, portanto, a tão repisada incompatibilidade entre performance e musicologia

→   Composição, técnica e eletrônica – produção de séries de estudos dedicados ao desenvolvimento da técnica do violão com utilização de sons transformados eletronicamente

Resumo: O objetivo principal é o de escrever uma série de peças com interesse musical, mas ao mesmo tempo dedicadas ao desenvolvimento de aspectos específicos da técnica do violão, utilizando como elemento indispensável na composição os sons produzidos eletronicamente. Como objetivo secundário pode-se supor o aprofundamento nas questões específicas da técnica violonística, e sua possível utilização como fonte de material para as composições. Também como objetivo secundário, aparece a questão da pesquisa sobre a adequação dos sons eletrônicos ao som do instrumento puro, aspecto essencial no trabalho de composição, e ainda não suficientemente explorado no repertório atual para violão com sons eletrônicos.

→   Violão na rede: constituição de um repositório virtual didático para aprendizagem e aperfeiçoamento instrumental e musical

Resumo: Partindo do pressuposto da existência de um interesse socialmente disseminado pela aprendizagem do violão, o projeto visa a oferecer, por meio da constituição de um acervo de aulas a ser disponibilizado em plataformas web, um conjunto de informações de qualidade ao público interessado, ampliando o alcance do conhecimento produzido na Escola de Música da UFMG

O PPViolão, como já assinalado, incorpora discentes do Mestrado e Doutorado em Performance Musical com pesquisas alinhadas à sua proposta. Entre as pesquisas em andamento ligadas ao grupo, encontram-se:

→   Victor Melo Vale (doutorado) – A tradutibilidade do sentido: o processo de transcrição musical

→   Marcos Matturro Foschiera (doutorado) – Autoetnografia da performance do violão sul-americano: influências da música popular e folclórica

→   Carlos Alfeu Guerra Gomes (mestrado) – ¡Jha, che valle! Agustin Barrios e suas danças paraguaias

→  Marco Ernesto Teruel Castellon (mestrado) – Violão brasileiro hoje: um mapeamento e análise panorâmica do diálogo entre identidade nacional e globalização no repertório violonístico contemporâneo

O Grupo de Etnomusicologia da Escola de Música da UFMG tem por vocação o desenvolvimento do ensino, da pesquisa e da extensão em música sob uma perspectiva cultural e etnográfica. Constitui assim um fórum de debate diante de um número importante de projetos e iniciativas acadêmicas, na graduação e na pós-graduação. O Grupo busca dinâmicas de trabalho colaborativo, tanto junto aos sujeitos de pesquisa com os quais dialoga, quanto a outros grupos e instituições parceiras, no sentido de proporcionar maior interseção entre diferentes saberes e epistemologias.

Muito além de sons e de sua dimensão formal mais imediata, as experiências que definimos como musicais equivalem a uma série ampla de conjuntos associativos: dos sons entre si, de sons que ocupam lugares históricos, estéticos, políticos, religiosos, etc., específicos. O tratamento de temas musicais a partir de lógicas próprias e de um olhar sensível à diferença visa assim um projeto de conhecimento musicológico que não abstraia da experiência musical a rede mais ampla de relações sociais e culturais que lhe são contíguas.

De um ponto de vista institucional, o Grupo apresenta um potencial catalisador meio a diferentes tipos de produção, da sala de aula ao acolhimento de projetos de pesquisa e ao trabalho de campo, da elaboração de textos a materiais audiovisuais, da realização de eventos universitários e de extensão universitária.

Linhas de Pesquisa:

  • Experiência e Significado Musical
    Abordagem de práticas musicais em contexto social, cultural, cosmológico. Estudo dos sentidos construídos e socialmente compartilhados pelos participantes durante as experiências performáticas musicais; das associações estabelecidas pelos participantes entre a experiência acústica, a performance musical e os diversos elementos da vida social; das performances musicais como processos rituais.
  • Etnomusicologia Colaborativa
    Projetos de pesquisa, com eventual associação a ações de ensino e de extensão, pautados pelo diálogo interepistêmico e interontológico, e pelo compartilhamento de objetivos, métodos e resultados, entre pesquisadores/universidade e grupos com os quais se desenvolvem as ações.
  • Etnomusicologia e Educação Musical
    Estudo dos contextos e processos de aprendizagem musical, e suas associações com outras dimensões da formação humana; perspectivas etnomusicológicas sobre propostas formais de educação musical.

Pesquisadores:

Carlos Ernest Dias: http://lattes.cnpq.br/0051943663700839
Daniele Damasceno Fischer: http://lattes.cnpq.br/8433299707792534
Eduardo Pires Rosse (líder): http://lattes.cnpq.br/3976870085676446
Glaura Lucas (líder): http://lattes.cnpq.br/5237321219459906
Jonatha Maximiniano do Carmo: http://lattes.cnpq.br/1149322499074085
Leonardo Pires Rosse: http://lattes.cnpq.br/7260194007583365
Lúcia Pompeu de Freitas Campos: http://lattes.cnpq.br/9122224580647279
Paulo Vinícius Amado: http://lattes.cnpq.br/1415446994724754
Rafael Ramalhoso Alves: http://lattes.cnpq.br/5176135781312923

Estudantes associados:

As atividades de pesquisa em Sonologia se estruturam a partir de sete categorias de projetos, que contam com o suporte de três laboratórios:

CEGeME: Centro de Estudos do Gesto Musical e Expressão
LaPIS: Laboratório de Performance com Sistemas Interativos
LGPM: Laboratório de Gravação e Produção Musical

As categorias de projeto são:

1. Extração multimodal de informação musical
Pesquisas voltadas à inferência de atributos sonoros e cinemáticos a partir de parâmetros extraídos do sinal de áudio e da posição espacial tridimensional dos músicos. É uma modalidade de pesquisa em constante desenvolvimento e aperfeiçoamento e que dá suporte a vários projetos desenvolvidos nos laboratórios do CEGeME e LaPIS.

2. Estudo empírico da música tocada
Pesquisas empíricas da performance musical, com foco em diferentes aspectos de sua expressividade. Os projetos propõem modelos analíticos que buscam identificar relações causais entre a intenção expressiva do músico e a maneira como ele manipula o material acústico e como se move ao interpretar uma obra musical.

3. Interação e coordenação em performance musical de conjuntos
Identificação e análise de padrões de sincronização temporal e de acoplamento das manipulações do material sonoro e do movimento corporal de músicos em performance de conjunto.

4. Sistemas musicais interativos
Construção e exploração de ambientes musicais de interação em tempo real envolvendo pessoas e máquinas. A partir da captação/percepção e interpretação de atividades realizadas por seus integrantes, podem ser propostas diferentes situações e diálogos musicais. Além de projetos que exploram as possibilidades da live-electronics com instrumentos e vozes, as pesquisas podem também incluir a multimodalidade, como a utilização combinada de sons, movimentos, imagens e outros recursos das artes digitais.

5. Escuta e design sonoro
Abriga pesquisas voltadas à abordagem dos sons e da música a partir da concretude sonora e da percepção auditiva. Os projetos se valem de diferentes abordagens teórico-práticas e de aproximações multidisciplinares para o estudo de temas tais como: trilhas sonoras, paisagens sonoras, análise de gravações, referencialidades, sound studies, práticas acusmáticas, experimentais e exploratórias, dentre outros.

6. Aplicações sonológicas ao aprendizado e desenvolvimento musical
Projetos que têm por objeto de investigação o comportamento humano em atividades musicais mediadas por ferramentas tecnológicas voltadas para a aprendizagem e desenvolvimento humano.

7. Interfaces I/O em contextos musicais multimodais
Pesquisas que envolvem desenvolvimento, programação, aplicação e/ou adaptação de interfaces analógico-digitais para uso em diferentes contextos musicais multimodais. Dentre elas encontram-se controladores, sensores, atuadores, câmeras, transmissores, micro-processadores, alto-falantes, telas, etc. Os projetos nessa categoria lidam com questões tais como a multiplicidade de estímulos e tipos de sinais, portabilidade, adaptação de código, capacidade de processamento e transmissão, latência, sincronismo, diversidade de aplicações.

Dissertações e teses já defendidas nesta linha, clique aqui.