O papel da banda Sinfônica na Era Contemporânea

A Banda Sinfônica da Escola de Música da UFMG convida a comunidade acadêmica e demais interessados a participarem das videoconferências que estamos realizando, referentes ao primeiro semestre letivo de 2021, aprovadas no sistema ERE (Ensino Remoto Emergencial). As conferências

acontecem sempre às terças-feiras no horário de 15h30min às 17h30min.

Os temas são relacionados à pedagogia, performance e história das bandas. Os palestrantes são professores, pesquisadores, pedagogos, maestros e instrumentistas do Brasil, da Europa e dos EUA.
 
A próxima palestra será com o Professor Roberto Farias, e terá como tema: “O papel da banda Sinfônica na Era Contemporânea”.
Aos interessados, favor entrar em contato através do e-mail bandasinfonicadaufmg@gmail.com, para receberem o link de participação.
 

Esperamos por vocês!

 Roberto Farias,

Maestro e compositor brasileiro
Ligado às iniciativas musicais da Cidade de Cubatão (SP), sua terra natal, iniciou seus estudos musicais aos sete anos de idade e aos onze já produzia os seus primeiros arranjos para banda, tornando-se assistente de seu professor.

Na década de 1970 foi idealizador da Banda Musical “Afonso Schmidt”, dando origem a atual Banda  Sinfônica de Cubatão. Formado pela Faculdade Música de Santos, onde mais tarde assumiu as cadeiras de
Literatura Instrumental, Apreciação Musical e Instrumento Superior, estudou Regência com o maestro alemão Paul Bernard, tendo frequentado classes de renomados mestres como William Nichols, Gerard Devos, Fábio Mechetti e o célebre Eleazar de Carvalho.

Regente titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica de Santos (1983-1992), do Coral Petrobrás-RPBC (1987-1992). Foi o responsável pelo seu projeto de profissionalização, consolidado em 1989, sendo o seu regente titular até o ano de 2000. Professor de Regência Orquestral do Centro de Estudos Musicais Tom Jobim (a Universidade Livre de Música), atuou como Professor de Regência e Prática de Banda  Sinfônica nos mais importantes festivais de música do país, entre eles, o Festival de Inverno de Campos do
Jordão, Festival de Música de Londrina, Oficina de Música de Curitiba, Curso Internacional de Verão de Brasília, Festival de Inverno de Antonina – PR e Painel FUNARTE para instrumentistas e regentes de bandas.

Entre os seus prêmios, destacam-se: Regente do Ano – 1981, Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, Prêmio APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte (1990), Prêmio Banespa de Música – Destaque Internacional (1993), Mérito Cultural Afonso Schmidt (1994), Prêmio Carlos Gomes (1997).
Sua carreira como compositor inclui obras para diversas formações instrumentais e que têm sido programadas tanto no Brasil quanto no Exterior (Estados Unidos e Europa), com destaque para o Festival de Música Erudita Brasileira na Romênia que tem mostrado várias das suas obras com  bastante  
frequência – Tres Escenas de Amor (para duo de violino e viola) mereceu a atenção do pintor romeno Niculae Adel que dedicou-lhe um quadro na sua exposição “Sinfonia & Cor” (maio de 2017), contando com a participação musical do Duo Varadiensis (violino e viola), responsáveis pela estreia
europeia da peça. 

Desde 2005 atua como Coordenador dos Grupos Artísticos Oficiais de Cubatão e em 2017 assumiu a Direção Artística do METAL ARTE – Quinteto de Metais e em 2018, a direção artística da BANDA SINFÔNICA PAULISTA. É também, desde 2018, docente de Pós-Graduação na ALPHA CURSOS-FACEC.


Fonte: https://www.mrobertofarias.com/quem-sou-eu

Banda Sinfônica – Videoconferência 15 junho