Processo seletivo para estágio em Assessoria de Comunicação

O Ars Nova – Coral da UFMG abre uma vaga de estágio para Assessoria de Comunicação. A inscrição para o processo seletivo deve ser feita até o dia 01/07/2021 através do e-mail arsnovaufmg@gmail.com. As informações completas estão disponíveis no Edital.

Resultado:

Vinícius Fernandes de Oliveira – Classificado em primeiro lugar

Maria Luíza Cunha da Silva – Classificada em segundo lugar (lista de espera)

Thiago Galvani – Classificado em terceiro lugar (lista de espera)

Processo seletivo para bolsista de produção cultural

O Ars Nova – Coral da UFMG abre uma vaga para bolsista de extensão na área de produção cultural. A inscrição para o processo seletivo deve ser feita até o dia 01/03/2021 através do e-mail arsnovaufmg@gmail.com.

As informações completas estão disponíveis no Edital.

Resultado:

Leonardo da Silva Santos – Classificado em primeiro lugar
Nuri Macêdo Carvalho – Classificado em segundo lugar (lista de espera)

Baião Armorial: Ars Nova – Coral da UFMG lança música inédita e exclusiva sobre a pandemia

Com equipe criativa expandida, a produção virtual reúne o compositor Maurício Detoni, a poeta Etel Frota e o diretor cênico Ernani Maletta, professor da Escola de Belas Artes da UFMG

Fruto de co-criações à distância e com uma letra potente, o novo coro virtual do Ars Nova é um retrato dos tempos em que estamos vivendo. A música Baião Armorial foi escrita por Maurício Detoni e Etel Frota para o “Concurso de composição de obra coral para execução através de gravação virtual pelo Ars Nova – Coral da UFMG” e posteriormente gravada sob direção de vídeo de Ernani Maletta, dramaturgo e professor da Escola de Belas Artes da UFMG, e direção musical de Lincoln Andrade, regente do Ars Nova. O lançamento inédito, com forte inspiração no teatro e um solo de Detoni, já está disponível:

Um tempo que pede criatividade

Em meio aos desafios impostos pela pandemia, a vontade de continuar fazendo música levou o Ars Nova a novas possibilidades. Desde março, o grupo vem lançando coros virtuais – produções realizadas de maneira remota, com cada músico em sua casa. Atualmente, o Ars Nova já possui um repertório de nove vídeos com mais de 22 mil visualizações.

Com a boa recepção do projeto, o coro promoveu um Concurso de Composição entre julho e agosto a fim de selecionar uma música autoral e inédita especialmente criada para esse formato virtual. Entre 88 inscrições de todas as regiões do Brasil, a premiada Baião Armorial se destacou com a música do compositor e arranjador Maurício Detoni e a letra da poeta Etel Frota.

Detoni, cuiabense residente em São Paulo, já foi regente de coros no Mato Grosso e no Rio de Janeiro, além de ter cantado no grupo Garganta Profunda e participado de diversos espetáculos musicais. Etel Frota, do Paraná, já compôs para grandes artistas da MPB, como Maria Bethânia, e é membro da Academia Paranaense de Letras. A dupla escreveu Baião Armorial à distância, pela internet e de forma simultânea, com a letra contribuindo para a música e a música contribuindo para a letra.

“Do mesmo jeito que o Ars Nova está aprendendo a montar uma obra inédita já nesse formato para apresentar, nós também estamos aprendendo a compor. Nós compusemos isso ‘do zero ao cem’ no Whatsapp. Maurício cantarolava uma estrofe e eu ia trabalhando na letra. Foi absolutamente interativo”, disse Etel Frota no programa Conversa com o Maestro.

Sentimentos coletivos

Atravessando fronteiras geográficas entre os compositores e até o Ars Nova, coro de Minas Gerais, Baião Armorial ainda tematiza, em sua letra, o contexto brasileiro atual. Além da pandemia, o texto narra episódios específicos como os incêndios no Pantanal e a nuvem de gafanhotos que atingiu o sul do país.

“São assuntos ruins, mas o poema não é duro. Ele traz um certo lirismo”, comentou o maestro Lincoln Andrade. Etel Frota, na sequência, completou: “Mas sem deixar de mergulhar em um momento de profunda tristeza, que é o momento armorial. Nós temos o momento de indignação, nós temos o momento de profunda tristeza, mas nós acabamos pedindo que nosso olhar de ver a beleza e de ver a esperança se salve. Nós [Etel e Maurício] acabamos transitando pelas emoções que todos estão vivendo, todos os dias, pelos últimos sete meses.”

Inspiração no teatro

Para traduzir a proposta da música em um vídeo feito em casa, o Ars Nova convidou o diretor cênico e professor da Escola de Belas Artes da UFMG Ernani Maletta, nome presente nos espetáculos Carmina Burana: uma Cantata Cênica, em Belo Horizonte e O Grande Circo Místico, no Rio de Janeiro, como diretor musical, e Ifigênia em Áulis (Eurípides) e Electra (Sófocles), no Teatro Greco di Siracusa, na Itália, como dramaturgo musical, entre outros.

“Quando o Lincoln me chamou para fazer a criação do vídeo, a primeira coisa que eu quis foi ser muito fiel ao meu lugar na arte, que é nesse entrelaçamento entre o teatro e a música, então a minha preocupação foi encontrar uma dramaturgia que se relacionasse à interpretação da música, seus aspectos sonoros e textuais, às frases rítmicas e melódicas. Embora a manifestação final não seja por intermédio do teatro, o caminho que eu usei para chegar no vídeo foi a ideia da cena”, disse Ernani Maletta ao Ars Nova.

A dramaturgia do vídeo ficou dividida em três momentos: alienação, medo e esperança. Além da letra, Ernani apostou em outros elementos que poderiam transmitir esses sentidos. A tela deixa de mostrar apenas o naipe que está cantando cada estrofe, como vinha acontecendo nos coros virtuais anteriores, e passa a mostrar mais pessoas realizando outras atividades.

“Tive a ideia de usar todas as interferências que eu coro faz quando ele não está carregando a letra da música como uma espécie de reação a essa letra. É um texto muito forte, que traz uma denúncia muito significativa da situação complexa que o país vive. Ao mesmo tempo que um dos naipes está como enunciador do texto, os outros naipes têm outro tipo de proposta sonora, fazem outro tipo de onomatopeia de som, outros fonemas”, afirmou Maletta.

O vídeo final da música a capella conta com os vinte e um cantores do Ars Nova e mais sete membros da equipe que foram convidados a atuar.

O coro virtual de Baião Armorial tem montagem, mixagem e edição de áudio de Igor Leandro com assistência de Lincoln Andrade, montagem e edição de vídeo de Leonardo Clementine e solo de Maurício Detoni. O grupo de trabalho de criação do vídeo, com direção de Ernani Maletta, é composto por Dayvid Lucyan, Gustavo Piffer, Letícia Muniz, Riane Menezes, Sarah Reis e Tayane Bragança. A realização é da Universidade Federal de Minas Gerais, da Escola de Música da UFMG e da Pró-Reitoria de Extensão da UFMG.

Ars Nova participa de festivais nacionais e internacionais

Diante da pandemia global do novo coronavírus, estamos em atuação totalmente remota, sem encontros presenciais, desde março. Mas isso não significa que nossa agenda está parada!

No segundo semestre de 2020, temos presença marcada em vários festivais de música coral erudita, popular, nacional e até internacional! Participamos desses eventos digitais com os nossos coros virtuais e alguns vídeos inéditos, gravados antes da pandemia.

No dia 28 de agosto, participamos do 55º Festival de Coros Fecors com o coro virtual de Ponto de Oxum-Yemanjá, de Carlos Alberto Pinto Fonseca. O evento da Federação dos Coros do Rio Grande do Sul contou com um total de 40 grupos de coral! Você pode assistir à transmissão neste link.

No dia 30, aconteceu o Festival Internacional de Coros de Porto Alegre “In Linea”. Em italiano, “in linea” significa “online”, e é justamente essa a proposta do festival: prestigiar as produções à distância de corais do mundo inteiro. Tivemos a honra de representar Minas Gerais e o Brasil com nosso coro virtual de Agnus Dei, da compositora Emily Doll. A transmissão está disponível neste link!

Siga o Ars Nova no Facebook e no Instagram para acompanhar as informações dos próximos festivais.

Coro virtual do naipe feminino enche o céu de estrelas

Em novo coro virtual, as vozes do naipe feminino, acompanhadas por piano e flauta transversal, apresentam a canção Estrela, Estrela, de Vitor Ramil.

Estrela, Estrela faz parte do Medley Milton Nascimento, com arranjos vocal e para flauta transversal de Lincoln Andrade e arranjo instrumental e versão para piano de Fred Natalino. Nesse formato virtual, o Ars Nova escolheu um trechinho do Medley para apresentar ao público à distância! Assista agora:

As vozes são de Amanda Moreira, Letícia Muniz, Lúcia Melo, Ariel Castilho, Núbia Eunice, Mariana Redd, Carol Claret, Sarah Reis, Sávio Fàschét e Sônia Apcon. O piano é tocado por Bruno Cruz e a flauta por Lúcia Melo. A produção é de Riane Menezes com assistência de Carolina Claret, e a mixagem de áudio e a edição de vídeo são de Leonardo Clementine.

O coro virtual é uma produção realizada à distância, com cada cantor na sua casa. Sua realização tem parceria da Universidade Federal de Minas Gerais, da Escola de Música da UFMG e da Pró-Reitoria de Extensão da UFMG. O repertório de coros virtuais já lançados é diverso, incluindo as canções Apesar de Você, de Chico Buarque, MLK, do U2, Serenata na Floresta, de Schubert e outros. Todos os vídeos já estão disponíveis no Youtube.

Ars Nova presta homenagem ao maestro e compositor Carlos Alberto Pinto Fonseca

No mês de junho, o Ars Nova – Coral da UFMG comemora o aniversário do renomado maestro e premiado compositor Carlos Alberto Pinto Fonseca, que esteve na liderança do Coral durante 41 anos. Em sua homenagem, o Ars Nova lança o coro virtual de Ponto de Oxum-Yemanjá, obra composta por Carlos Alberto em 1965.

Assista agora:

Ponto de Oxum-Yemanjá (1965) exemplifica a espiritualidade que marca toda a obra de Carlos Alberto – nesse caso, através da temática Afro-brasileira. O compositor tinha reconhecido interesse na interlocução entre diferentes culturas, assim como entre a música popular e a chamada música erudita.

O coro virtual é uma produção realizada à distância, em contexto de trabalho remoto que o Ars Nova adotou em março de 2020 devido à pandemia global do novo coronavírus. Sua realização tem parceria da Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Música da UFMG e Pró-Reitoria de Extensão da UFMG.

Os vídeos anteriores, com a obra sacra Agnus Dei, da compositora Emily Doll, e as canções Apesar de Você, de Chico Buarque, e MLK, do U2, estão disponíveis no youtube do Ars Nova.

Carlos Alberto Pinto Fonseca

Carlos Alberto nasceu em Belo Horizonte no dia 07 de junho de 1933. Em sua formação musical, estudou no Conservatório Mineiro de Música, mudou-se para São Paulo e, depois, para Salvador, onde se formou em Regência Coral. Em seguida, fez um curso de Especialização em Regência de Orquestra na Alemanha, e ainda morou na Itália. A partir de 1963, de volta ao Brasil, sua história se entrelaça com a do Ars Nova.

O Ars Nova tem mais de 60 anos de existência – desses, 41 sob a regência de Carlos Alberto Pinto Fonseca. Nesse período, o coro adquiriu reconhecimento mundial. Foram mais de 20 excursões nacionais e internacionais, incluindo festivais como o Concurso Polifônico Internacional Guido d’Arezzo, o Festival de Coros de Atenas e o Festival Internacional de Música de Cantonigròs. Nesse período, foram realizadas cerca de 1.400 apresentações em 79 cidades de 12 estados brasileiros, mais 66 cidades de 17 países, em palcos tão distintos como o Lincoln Center, de Nova York, e a Casa de Ópera Teatro Municipal, de Ouro Preto. Com Carlos Alberto, o Ars Nova ainda registrou a gravação de oito trabalhos, entre eles, o LP da Missa Afro-Brasileira, composição premiada de Carlos Alberto Pinto Fonseca, em 1987, e a estreia mundial da obra Réquiem de Durante, de Francesco Durante (1684-1755), gravada em 2000.

Foi sob a coordenação de Carlos Alberto, também, que o Ars Nova passou a integrar a UFMG – naquele momento, Universidade de Minas Gerais – a convite do então reitor Aluísio Pimenta.

Novo coro virtual do Ars Nova homenageia profissionais de saúde

Em trabalho remoto desde março, devido à pandemia de coronavírus, o Ars Nova – Coral da UFMG apresenta mais um coro virtual para o público. O vídeo com a canção MLK, do grupo irlandês U2, é um agradecimento e uma homenagem do Ars Nova aos profissionais de saúde que continuam se dedicando e se expondo na linha de frente do combate ao vírus. 

A música traz no título as iniciais de Martin Luther King, ativista político e líder do movimento dos direitos civis nos Estados Unidos. Trata-se de uma breve e suave balada, lançada no disco The Unforgettable Fire, em 1984. O coro virtual tem arranjo de Bob Chilcott e solo do tenor Hendrigo del Freitas. Assista agora:

Para o maestro Lincoln Andrade, “a realização dos coros virtuais é um trabalho que pode e deve ser feito em casa. O propósito não é só mostrar uma produção nesse período de quarentena, mas também enviar para o público um produto com a esperança de amenizar as tensões de um momento tão delicado pelo qual todos passamos”. Os vídeos anteriores, com a obra sacra Agnus Dei, da compositora Emily Doll, e com a canção Apesar de Você, de Chico Buarque,  estão disponíveis no youtube do Ars Nova.

A produção dos coros virtuais tem parceria da Escola de Música, da Pró-Reitoria de Extensão e da Universidade Federal de Minas Gerais. Enquanto comunidade da UFMG, o Ars Nova ainda chama a atenção para a campanha de financiamento coletivo Colabore Hospitais UFMG, que tem objetivo de arrecadar recursos para aquisição de medicamentos, insumos, equipamentos e serviços destinados ao Hospital das Clínicas da UFMG, Hospital Risoleta Tolentino Neves e Unidade de Pronto Atendimento Centro-Sul, os dois últimos gerenciados pela UFMG e pela Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep).

Campanha Colabore Hospitais da UFMG

A campanha foi idealizada em virtude do aumento de atendimentos a pessoas diagnosticadas com Covid-19, demais síndromes respiratórias agudas e outras emergências, o que resulta em crescimento diário na taxa de pacientes. As unidades de saúde vinculadas à UFMG – de atendimento básico e de alta complexidade – verificam queda expressiva em seus estoques e na capacidade de assistência à saúde.

Desenvolvida pela UFMG em parceria com o Instituto dos Advogados de Minas Gerais (IAMG) e a Fundep, a campanha foi iniciada no em 24 de março e já arrecadou R$4,976 milhões, dos quais R$1,876 milhão foram destinados ao Hospital das Clínicas, R$856 mil ao Risoleta Neves e R$216 mil à UPA Centro-Sul.

A campanha de financiamento coletivo conta ainda com apoio institucional da Justiça Federal de Minas Gerais, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Seção Minas Gerais, da Associação do Ministério Público de Minas Gerais e da Associação dos Juízes Federais de Minas Gerais.

Como colaborar

O volume arrecadado na campanha de financiamento coletivo é gerenciado pela Fundep. Os interessados em contribuir podem transferir qualquer valor para o Banco do Brasil (001), agência 1615-2, conta corrente 960.419-7 (CNPJ da Fundep: 18.720.938/0001-41). Também podem ser doados bens ou equipamentos; nesse caso, basta entrar em contato com a Diretoria de Cooperação Institucional da UFMG por meio dos telefones (31) 3409-4555 e (31) 99306-0348 ou do e-mail gab@copi.ufmg.br.

Ars Nova homenageia Chico Buarque com coro virtual de “Apesar de Você”

O Ars Nova – Coral da UFMG homenageia o cantor, compositor e escritor Chico Buarque com um coro virtual da canção Apesar de Você. O arranjo especial é de Alexandre Zilahy com adaptação para o Ars Nova do maestro Lincoln Andrade.

Buarque receberia em abril o Prêmio Camões de Literatura, que reconhece um autor de língua portuguesa por sua contribuição “para o enriquecimento do patrimônio literário e cultural” do idioma. No entanto, a cerimônia de entrega foi adiada indefinidamente devido à pandemia de coronavírus.

Além da homenagem, o Ars Nova fia-se à mensagem da canção escolhida e repassa as palavras de otimismo ao público. É período incerto, mas “amanhã vai ser outro dia”.

https://youtu.be/EYkYLVAsR2Q

O Ars Nova continua em funcionamento remoto, realizando reuniões e ensaios pela internet e produzindo os coros à distância. Para Lincoln Andrade, esse trabalho “pode e deve ser feito em casa”, durante as medidas de isolamento social, como uma forma de contribuição. O primeiro coro virtual do Ars Nova, com a peça Agnus Dei, de Emily Doll, também já está disponível no youtube.

Prêmio Camões de Literatura

O Prêmio Camões foi criado em 1988 e é considerado a mais importante premiação da língua portuguesa. A escolha de Chico Buarque para o título de 2019 foi anunciada em maio do ano passado, após reunião do júri na Biblioteca Nacional do Brasil, no Rio de Janeiro. Conforme divulgado, “o júri decidiu, por unanimidade, atribuir o Prémio Camões a Chico pela qualidade e transversalidade da sua obra, tanto através de gêneros e formas, quanto pela sua contribuição para a formação cultural de diferentes gerações em todos os países onde se fala a língua portuguesa. O Júri reconheceu o valor e o alcance de uma obra multifacetada, repartida entre poesia, drama e romance. O seu trabalho atravessou fronteiras e mantém-se como uma referência fundamental da cultura do mundo contemporâneo”.

A data previamente determinada para a cerimônia, que acontece em Lisboa, tinha sido escolhida pelo próprio cantor. Seria em 25 de abril, mesma data da Revolução dos Cravos. Agora, de acordo com o Ministério da Cultura de Portugal, “a entrega do Prêmio Camões será remarcada para data a definir”.

Cordeiro da Paz: Ars Nova apresenta peça virtual no domingo de Páscoa

Nesta páscoa, o Ars Nova – Coral da UFMG troca os coelhos por um cordeiro. Agnus Dei – ou Cordeiro de Deus – é o título da obra do primeiro coro virtual do Ars Nova.

Disponibilizado no domingo de Páscoa pelo canal de youtube do Ars Nova, a peça remota é o resultado da reinvenção que foi necessária diante da pandemia de Covid-19. Mantendo sua rotina de ensaios e reuniões pela internet, o Ars Nova precisou encontrar uma nova maneira de se encontrar com o público. Assim, o maestro Lincoln Andrade coordenou gravações individuais de vinte e dois cantores e um pianista, cada um em sua casa. Igor Leandro, técnico de gravação e aluno de regência na UFMG, foi o responsável por editar o material e produzir o vídeo.

Agnus Dei é uma obra de Emily Doll, compositora e arranjadora dos Estados Unidos. A peça foi escrita em 2013 e faz parte da Divine Mercy Mass (Missa da Divina Misericórdia). Já apresentada pelo Ars Nova no concerto Mulheres Compositoras, que foi realizado nos dias 11 e 12 de março sob a regência da maestrina Riane Menezes, a música é um clamor pela paz e pela piedade divina.

Segundo Lincoln Andrade, “foram muitas horas dedicadas a gravar, ouvir e editar, várias vezes, cada trecho que compõe a peça. Com muito trabalho, mas também com a consciência de que, neste momento, esse trabalho pode e deve ser feito em casa, queremos contribuir e continuar oferecendo a suavidade e a emoção da música ao público”. A apresentação é a primeira atividade de uma agenda diversa, pensada para aproximar os corações de todos, ainda que em distanciamento físico.

Nota à Comunidade

Diante do cenário mundial da pandemia do coronavírus (Covid-19), o Ars Nova – Coral da UFMG adota um formato de funcionamento remoto, suspendendo concertos e demais atividades presenciais. A medida para conter a transmissão do vírus segue as orientações da Reitoria da UFMG, da Organização Mundial de Saúde e dos governos do estado e do município.

O Ars Nova continua realizando ensaios e reuniões em sua frequência habitual, em plataformas online, e permanece atendendo ao público e à imprensa em seus canais de comunicação.

O coro prepara, ainda, outros formatos para realização de atividades públicas, como entrevistas ao vivo e apresentações musicais inteiramente remotas – e convida toda a comunidade para acompanhar suas redes sociais e não perder as novidades que estão por vir.

O Ars Nova está presente no Instagram, no Facebook e no Site. A equipe administrativa também pode ser contactada pelos e-mails arsnovacomunica@gmail.com (Assessoria de Comunicação), arsnovaprodutor@gmail.com (Produção Cultural) e arsnovaufmg@gmail.com (Administração Institucional).