Home
      PER MUSI > Números > Número 5 e 6 > Resumo 3

 

   
  PER MUSI - Número 5 e 6
 

3. Sobre performance, análise, e Schubert

Janet Schmalfeldt

Resumo: Uma crítica introdutória ao meu próprio artigo de 1985 sobre a relação performance-análise serve como pano de fundo inicial para retratar o Intérprete como o maior responsável pelo delineamento de nossas percepções de forma do primeiro movimento da Sonata para Piano em Lá Menor, Op. 42 (D845) de Schubert. Idéias sobre forma como processo na música de Beethoven, sobre a situação pessoal e profissional de Schubert em 1825, e sobre a atuação recíproca entre as convenções e transformações formais e motívicas são focalizadas tendo em vista a questão de como intérpretes e analistas podem chegar à compreensão desta obra formidável de Schubert.

Palavras-chave: forma musical como processo, funções formais, noções filosóficas e musicais de devir, progressão omnibus, “falsa” recapitulação, divisão simétrica da oitava.

Artigo Completo > Artigo Completo

 

(artigo publicado em inglês)

 

©2010 - PER MUSI - Revista Acadêmica de Música - Escola de Música da UFMG