voltar à página de disciplinas

2019s1 - "Algoritmos e técnicas composicionais aplicados aos processos analíticos e criativos" [tópicos/pós]



informações úteis:

Os arquivos de instalação do OpenMusic para sistemas Windows, macOS e Linux (debian/ubuntu e fedora/red hat) estão na pasta "instalações", da pasta compartilhada da disciplina. No Windows, dê preferência à versão 6.12 (em diversas máquinas as versões posteriores apresentaram problemas).

Para computadores com o sistema macOS, recomenda-se utilizar um aplicativo externo para tocar mensagens MIDI. Um bom exemplo, gratuito, é o programa SimpleSynth. Para linux, uma boa opção é o programa FluidSynth, que aceita soundfonts. (No windows não é necesário instalar um sintetizador/sampler, já que é possível utilizar o "Microsoft GS Wavetable Synth", que vem com o sistema operacional). Em setups avançados, é possível utilizar samplers profissionais como Kontakt, UVI, etc.

Para configurar a saída MIDI, vá em OM > Preferences > MIDI. Selecione "midi player" em Default Score Player. Em MIDI I/O, clique em "Ports Setup" e maperie as portas de saída para as portas do seu computador. Lembre-se de configurar...

Shift MIDI channels: "when approx is 4 or 8"
"Number of channels: "4"
Marcar "Auto microtone bend"

Sempre clique em "Apply" após fazer modificações em suas configurações.

Para setups mais específicos/complexos de portas MIDI e players/sintetizadores/samplers, é possível utilizar aplicativos específicos de criação de portas MIDI virtuais e roteamento de mensagens.
No macOS, utiliza-se, para isso, o aplicativo nativo "Audio MIDI Setup": clique em IAC Driver e crie as portas, não esquecendo de marcar a opção "Device is online".
No Windows pode-se utilizar aplicativos externos como loopMIDI.
No Linux, possivelmente será necessário testar algumas soluções diferentes, tais como as descritas aqui nesse post.


cronograma/log das aulas:

Os slides abaixo são disponibilizados com a finalidade de oferecer um material suplementar de estudo aos discentes matriculados na disciplina. Assim como nas aulas são vistos conteúdos não necessariamente sistematizados em formato de apresentação/slides (sendo necessária a participação efetiva dos discentes para um bom aproveitamento na disciplina), o conteúdo abaixo só pode ser coerentemente compreendido a partir do contexto das aulas.

Caso tenha interesse em utilizar/citar parte do material aqui disponibilizado, por favor ente em contato através de padovani.aulas [arroba] gmail [dot] com.

Os slides foram elaborados para serem visualizados na resolução 1280x800. Se você usa outra resolução, é possível utilizar os comandos de zoom do seu navegador
(Ctrl + / Ctrl - [Windows/Linux] / Command + / Command - [Mac])

Para navegar pelos slides utilize as setas do seu teclado.
Para ir à vista panorâmica de todos os slides de uma mesma apresentação, utilize a tecla [esc].
Slides testados no Chrome.

aula dia assunto slides outras informações
1
27/fev/2019
[1] apresentação mútua
[2] apresentação da disciplina
-- --
2
13/mar/2019
[1] visão geral do OpenMusic: como criar workspaces, patches, configurações MIDI, etc;
[2] patches para criar operações dodecafônicas (transposição, inversão, retrogradação e combinações destas);
[3] modelamento algorítmico do início da 3ª peça do Quaderno Musicale di Anna Libera, de Luigi Dallapiccola. gravação
-- --
3
20/mar/2019
A representação do tempo no OM:
[1] o tempo cronométrico em ms: CHORD-SEQ, MULTI-SEQ: onsets, durações, x->dx, dx->x;
[2] o tempo métrico representado como Rhythm-Tree
[3] representação de subdivisões de compassos, pulsos e outras unidades (prolações) a partir de proporções
[4] representação de pausas (valores negativos) e notas ligadas (floats) em rhythm trees
[5] a geração de rhythm trees a partir de ratios: mktree.
[6] quantização de durações cronométricas em durações métricas: OMQUANTIFY
-- Exercício de Fixação 1:

Criar patch que gere cânone com durações proporcionais utilizando procedimentos algorítmicos vistos para gerar alturas e durações.

Tomar como exemplo os patches feitos em aula, a peça do Dallapiccola e o Kyrie inicial da "Missa Prolationem", de Johannes Ockeghem.
4
27/mar/2019
[1] Discussão dos trabalhos realizados a partir do Exercício de Fixação 1;
[2] Utilização da abstração qtf no modelamento de trechos de Berg (Wozzeck) e Manoury;
[3] Estruturas de controle: características gerais da função OMLOOP;
[4] Importação de dados a partir de arquivos MIDI;
[5] Modelamento inicial do piano de Liturgie de Cristal, 1ª peça do Quarteto para o Fim do Tempo, de Olivier Messiaen.
-- Exercício de Fixação 2:

Continuar o modelamento do piano de Liturgie de Cristal, iniciado ao final da última aula.
5
3/abr/2019
[1] Discussão dos trabalhos realizados a partir do Exercício de Fixação 2;
[2] Modelizações de "Liturgie de Cristal": a) células rítmicas do violino; b) clarinete
[3] Análise dos acordes do piano de "Liturgie de Cristal" (início/esboço)
[4] Cadeias de Markov aplicada à análise-ressíntese
-- --
6
10/abr/2019
[1] Programação por restrições utilizando a biblioteca OMCS -- --
7
17/abr/2019
[1] Discussão dos projetos individuais.
[2] Utilização do SPEAR associado ao OM para o tratamento de dados obitdos via "partial tracking"
[3] Modelização inicial dos processos composicionais utilizados em "Partiels", de Gérard Grisey.
[4] Configuração específica do OM para utilizar canais MIDI e samplers de maneira a modelizar orquestrações.
-- --
8
24/abr/2019
[1] Criação em sala de patch para modelizar quarteto de cordas baseado na análise do espectro de um sino.
[2] Configuração específica de um DAW (Reaper) e instrumentos virtuais (VSTi) para modelizar técnicas de jogo instrumental algoritmicamente.
[3] Utilização de maquetes: a criação de maquetes de maneira manual (organizando individualmente objetos internamente) e de maneira algorítmica (criação de maquetes a partir de patches).
-- Para aula 9 (8/maio):
- trazer esboços/patches iniciais dos projetos: aulas serão, a partir de então, em formato de ateliê em torno dos projetos individuais.