J.H.Padovani
Harmonia I [2018s1]

Your browser doesn't support the features required by impress.js, so you are presented with a simplified version of this presentation.

For the best experience please use the latest Chrome, Safari or Firefox browser.




Harmonia I
[aula 12: modo menor; acorde de sexta adicionada]







José Henrique Padovani





. percurso


- o modo menor
[escala/modo, figurações melódicas típicas, condução de vozes, tratamento harmônico]

- o acorde de sexta adicionada
[cifragem funcional: ]
[cifragem por graus: ]

. modo menor


- derivado das diferentes alterações empregadas desde a prática da musica ficta, nos modos eclesiásticos menores (dórico, frígio e eólio)

- na Teoria Musical voltada à música tonal, é usual a subdivisão em três tipos de escalas menores. No entanto...
...é sem sentido a divisão no ensino elementar em três tipos de modos ou escalas menores. Entretanto, visto que ainda se ensina isso por toda parte, deve-se, apesar dessa divisão não ter qualquer utilidade, conhecê-la. (...)
Não houve nunca uma peça escrita em um "modo menor harmônico". O modo menor não existe enquanto [simples] escala, mas enquanto provisão de 9 alturas que cada composição em modo menor tem à sua disposição.
(DE LA MOTTE, Diether. Harmonielehre. 2011, p. 77-78)



a) escala menor eclesiástica (Eólio) / escala menor natural / escala menor "pura":


b) escala menor harmônica


c) escala menor melódica

[fonte: DE LA MOTTE, Diether. The study of harmony: an historical perspective. 1991, p. 95]

. usos da 6ª e 7ª notas da escala no modo menor


Enquanto no modo maior a sensível ocorre naturalmente na 7ª nota da escala, originando ao mesmo tempo a tensão melódica que resolve na tônica e a relação harmônica de trítono com a sétima da dominante que resolve na fundamental e na terça maior acima dela...

...os modos menores precisam de uma alteração da 7ª nota da escala para criar um efeito semelhante.

[imagem a colocar futuramente: exemplos paralelos em modos maior/menor da sensível como tensão melódica e da dominante com sétima, enfatizando a resolução trítono/terça]

Em contextos em que essa 7ª elevada é precedida pela 6ª nota da escala sem alteração, isso gera um intervalo melódico de 2ª aumentada (raramente empregado) ou de 7ª diminuta (bastante frequente no contexto da música instrumental).
[fonte: DE LA MOTTE, Diether. The study of harmony: an historical perspective. 1991, p. 96]
Na escrita vocal, é comum que, quando a 7ª nota elevada da escala menor seja precedida pela 6ª nota da escala, tal condução seja realizada por grau conjunto e a 6ª também seja elevada em um semitom de maneira a evitar o intervalo de 2ª aumentada.

Da mesma maneira, quando a 6ª menor conduzir à 5ª nota da escala (sendo dela uma sensível superior), é comum que, se uma 7ª que eventualmente lhe preceda por grau conjunto seja utilizada sem alteração para evitar o mesmo intervalo de 2ª aumentada.

[imagens a colocar futuramente: exemplos de tratamento melódico da 6ª/7ª]

. as formas da subdominante no modo menor

Use a spacebar or arrow keys to navigate