As Aberturas de Beethoven

 

O termo ‘Overture’ (Abertura) denota tanto uma obra orquestral que precede um obra dramática (ópera), quanto o primeiro movimento de um concerto com título geralmente relacionado a um conteúdo literário ou pictórico, ou a ocasião para a qual foi escrito.

Beethoven tinha um gosto literário exigente e o conteúdo da sua biblioteca revela que “seus gostos variam de Eurípides a Goethe e de Shakespeare a Schiller. Sua biblioteca também mostra que ele tinha uma predileção notável pelo drama sério e trágico, algo que também pode ser detectado em seu Tagebuch (diário). Nesta coleção de comentários e citações, existem inúmeras citações de obras de dramaturgos como Johann Gottfried Herder e Friedrich Ludwig Zacharias Werner, além de citações dos escritos filosóficos de Kant e da Ilíada de Homero. De maneira mais pertinente, há uma série de citações centradas nas ideias de destino, liberdade, tragédia e livre arbítrio.” [FENBY-HULSE, 2014]

Na época de Beethoven a Abertura era um movimento único, geralmente com uma introdução lenta, muito parecido com o movimento de abertura de uma sinfonia contemporânea, exceto pela ausência de uma seção substancial de desenvolvimento. Os primeiros românticos alemães tenderam a relacionar a abertura aos temas e ao caráter da ópera; e as onze aberturas que Beethoven produziu são um ótimo exemplo desta prática, principalmente as versões de Leonora. Apesar da dramaticidade dos temas, Beethoven não tenta acompanhar a história em detalhes, mas procura divulgar seu conteúdo emocional sem referência a eventos reais.

Referências: 

GROVE ONLINEFENBY-HULSE, Kieran. Beethoven, literature, and the idea of tragedy. IN: The Musical Times, Vol. 155, No 1927 (SUMMER2014), pp. 41-53.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *